Sem alterações

Compartilhando saber

Por meio de Projeto de Extensão, servidor do Campus Inconfidentes compartilha conhecimentos musicais com alunos e membros da comunidade de Inconfidentes

Quem passa próximo aos laboratórios de Microbiologia e de Bromatologia na Fazenda-Escola do Campus Inconfidentes, em períodos da tarde, vai deparar-se com um som improvável de ser ouvido em ambientes onde costumam-se encontrar somente tubos de ensaio e produtos químicos. Acordes de violino suavizam os traços do prédio construído para a prática de pesquisas científicas.

Lá estão em andamento as aulas de um Projeto de Extensão idealizado pelo técnico em Alimentos e Laticínios, Taciano Benedito Fernandes. “Sempre quis aprender violino, mas as aulas são caras. Então comecei a estudar o instrumento no Conservatório Estadual de Música Juscelino Kubitschek de Oliveira, em Pouso Alegre”, contou o servidor que há 8 anos trabalha no campus.

Oportunidade para compartilhar

Foto corpo da Matéria ViolinoSegundo Taciano, a ideia para implantar as aulas no IFSULDEMINAS surgiu da disposição para o compartilhamento dos conhecimentos musicais assimilados no Conservatório.“A partir daí pensei porque não disponibilizar este curso na cidade onde eu moro para os estudantes e para a comunidade”, revelou o professor de violino.

O projeto “curso de violino básico” teve início em maio de 2017 quando foi publicado o edital para o preenchimento de uma vaga. “Os alunos demostraram bastante interesse no processo de inscrição. Houve muita procura. Entretanto, a disponibilidade de instrumentos é pouca”, recordou Taciano, destacando que o Campus Inconfidentes possui apenas um violino para as aulas. Para atender mais músicos, Taciano recorreu à publicação de novos editais contemplando os interessados proprietários do instrumento. “Aí conseguimos atender mais pessoas e ninguém ficou de fora”, completou.

Apesar de não ter relação com o cargo ocupado no IFSULDEMINAS, Taciano acredita que a música auxilia na estabilidade emocional do ser humano. “A música influencia no comportamento, na personalidade e na estabilidade física e emocional de quem pratica e de quem ouve”, defendeu ele durante a entrevista, ao som de uma ópera.

Concentração para estudar "exatas"

Foto Corpo da Matéria 2 ViolinoUma das participantes do curso é a aluna do 7º período do curso de Engenharia de Alimentos, Amanda da Silva Gomes. Natural de Muzambinho (MG), ela tem costume de estudar o conteúdo das disciplinas exatas ouvindo música clássica para se concentrar e facilitar a solução dos cálculos. “O violino foi um achado. As aulas me ajudam a treinar a concentração para conseguir estudar as matérias estudadas aqui no campus”, disse a estudante, natural de Muzambinho (MG).

As aulas funcionam às terças, quintas e sextas-feiras e atendem oito músicos. Dois deles são da comunidade externa. As orientações musicais são transmitidas individualmente. “Trabalho particularmente cada aluno. Tem uma técnica diferenciada individualmente”, explicou Fernandes para quem o treinamento tem resultados mais eficazes quando as explicações são destinadas para cada pessoa. “Eu aprendo muito. Essas aulas me deram muito mais segurança também como aluno no conservatório”, avaliou Taciano Fernandes, enfatizando o enriquecimento humano ao dividir o conhecimento com outras pessoas.

Por José Valmei Bueno

 Publicado em 10/04/2018

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.