Sem alterações

Bacias Hidrográficas

Grupo de Extensão promove palestra sobre Bacias Hidrográficas

Professora Lilian Andrade Vilela Pinto destaca legislação.

Foto Matéria Bacias Hidrográficas 1Leis de amparo à proteção de nascentes e ações para a preservação de minas d’água estiveram em debate durante a palestra “Manejo de Bacias Hidrográficas para a Produção de Água”.

O evento foi ministrado pela professora do Campus Inconfidentes, Lilian Andrade Vilela Pinto, para alunos e comunidade externa na noite de quarta-feira (11). “A Lei 9433/97 definiu Bacia Hidrográfica como unidade natural de planejamento. Ela tem um formato côncavo e funciona como receptora de água”, explicou a docente, enfatizando cinco elementos que influenciam na produção de água: tipo de solo, tipo de rocha formadora, relevo, clima e vegetação. “Desses fatores o homem pode atuar no tipo de vegetação”, completou Lilian.

A palestra, realizada no auditório da Fazenda-Escola, foi promovida pelo “Grupo de Extensão Anjos de Minas” (GEAM). O Projeto de Extensão GEAM foi implantado no Campus Inconfidentes em 2017 e tem como método a realização de rodas de conversas, encontros, feiras e ciclos de palestras com o objetivo de expandir o conhecimento sobre Bacias Hidrográficas, conservação e proteção de nascentes.

Proteção à vegetação nativa

Além da legislação a respeito da conceitualização de Bacias Hidrográficas, a professora explanou também a Lei 12651/12 que dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. “Esta legislação corresponde a um ordenamento do uso do solo como manutenção da vegetação nativa no entorno de nascentes e de reservas legais”, enfatizou Lílian, indicando os usos para diferentes tipos de solo. “Áreas planas para agricultura, áreas com declividade de 20 a 45% para culturas perenes, como café e pastagem”, apontou a professora dos cursos de Gestão Ambiental, Engenharia Agronômica e Técnico em Meio Ambiente.

O aluno José Vinícius de Andrade, do curso de Engenharia Agronômica, participou do evento. De acordo com ele, a palestra foi importante porque apresentou elementos legais e ações cotidianas que favorecem a produção de água. “A gente começa a ter uma noção do uso da água. A preservação dela é essencial para manter a agricultura e a qualidade para o consumo da população”, avaliou o estudante, natural de Mairiporã (SP). 

Por José Valmei Bueno

Publicado em 13/04/2018

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


Grupo de Extensão promove palestra sobre "Bacias Hidrográficas", nesta quarta-feira (11/04)

Palestra Anjos de Minas

Publicado em 09/04/2018

Ascom - Assessoria de Comunicação